2° BARI BRASIL FILM FESTIVAL – uma vitrine na Itália para o cinema brasileiro

O sul da Itália se confirma como uma importante vitrine para o cinema brasileiro. Após a primeira e bem-sucedida edição no ano passado, retorna o Bari Brasil Film Fest (BBFF), de 7 a 12 de outubro, em Bari, na região da Puglia, e como uma das novidades de 2017 – de 14 a 15 de outubro, em Matera, cidade da região da Basilicata, eleita Capital Europeia da Cultura em 2019.

Com o objetivo de aprofundar o conhecimento do público italiano sobre o Brasil através de uma programação cultural que foge dos lugares comuns ligados ao país, o festival inclui uma seleção de filmes que privilegia o cinema autoral e inclui ainda exposição fotográfica, espetáculo musical e conferências temáticas. Como em 2016, em Bari, o quartel-general das projeções e da mostra vai ser o cinema UCI Cinemas Showville. Em Matera, o UCI Cinemas Red Carpet.

O Bari Brasil Film Fest é fruto de uma longa experiência de seus realizadores na China, onde participaram da produção de festivais de cinema. Além da renovada parceria com o evento Agenda Brasil de Milão, este ano a organização estabeleceu um importante elo com o prestigioso Festival de Cinema Brasileiro de Paris. Graças ao patrocínio da Turkish Airlines, o Bari Brasil Film Fest vai contar com convidados especiais. É o caso de Hugo Prata, diretor de “Elis”, filme sobre a inesquecível cantora Elis Regina, que vai abrir oficialmente o festival na noite de 7 de outubro, às 20h, na primeira “cidade-sede”.

Outra presença muito esperada é a de Inês Figueirò, roteirista de “Era o hotel Cambridge”, película dirigida por Eliane Caffé, que vai ser exibida no dia 9 de outubro, às 20h. Os dois profissionais “aquecem as turbinas” antes do início do festival, no dia 6 de outubro, durante um encontro com os alunos da Accademia Cinema Ragazzi, um laboratório de formação cinematográfica e espaço de agregação social e cultural, em atividade em um bairro carente da cidade de Bari, o “quartiere San Pio, ex-Enziteto”.

Os outros títulos nacionais programados são Nise – O coração da loucura, de Roberto Berliner; Big Jato, de Claudio Assis; Aquarius, de Kleber Mendonça Filho; Chico – Artista brasileiro, de Miguel Faria Jr. O público local também vai entrar em contato com um outro lado da cultura brasileira, aquele gastronômico: coquetéis com iguarias típicas vão abrir ou intercalar as sessões.

Um outro convidado do Bari Brasil Film Fest é Michel Heberton, autor da mostra fotográfica “Geometrias de um caos”, que ocupará o foyer dos dois cinemas. Seu trabalho oferece um olhar privilegiado sobre a frenética São Paulo, revelando as geometrias existentes em meio ao caos, os rostos que se sobressaem na multidão, a beleza que vai além do cimento. Através das lentes do fotógrafo, descobre-se uma metrópole menos hostil, mais acolhedora e humana.

O programa também inclui duas conferências, com entrada grátis, no dia 11 de outubro. A primeira, às 10h, na Universidade da Basilicata, em Matera, realizada em parceria com o Departamento de Culturas Europeias e Mediterrâneas (DICEM) e com participação da roteirista Ines Figueirò, vai abordar o tema “Cinema e Arquitetura”, partindo da experiência real que gerou o filme “Era o hotel Cambridge”, que narra a história de um edifício ocupado por refugiados e trabalhadores sem teto. Às 16h30, no Departamento de Ciências Políticas da Universidade de Bari Aldo Moro, entram em discussão os “Novos protagonistas nas relações com a África Subsaariana”, um argumento que se baseia no fato de que o Brasil é um dos países que abriram o maior numero de embaixadas na África nos últimos anos.

Entre os palestrantes, o embaixador italiano Alberto Bradanini. “O Bari Brasil Film Fest propõe uma visão inspirada nos princípios de tolerância, de abertura ao próximo, de inclusão. A partir desse ponto de vista, nosso programa geral oferece uma reflexão sobre temas como as relações sociais, a descriminação nas suas mais diversas formas, a liberdade de expressão. O cinema e a cultura brasileiros são o ponto de partida para debates que não possuem fronteiras e que, além de atuais, se tornam cada vez mais fundamentais”, explica Vanessa Mastrocessario Silva, diretora da Associação Cultural Abaporu. Fechando a programação de Bari e antecipando as projeções em Matera, um show da banda Os Argonautas em homenagem a Elis Regina e Chico Buarque, no Bilabì, dia 12 de outubro, às 21h. Na ocasião, será anunciado o melhor filme escolhido pelo público.

O festival é promovido pela Associação Cultural Abaporu, com patrocínio de Turkish Airlines, Universidade LUM Jean Monnet e Sinoglobal Investments Advisory, além do apoio da Embaixada do Brasil em Roma, Prefeitura de Bari, Cidade Metropolitana de Bari, Prefeitura de Matera, Apulia Film Commission, Lucana Film Commission, Departamento de Ciências Políticas da Universidade de Bari Aldo Moro, Departamento de Culturas Europeias e Mediterrâneas (DICEM) da Universidade da Basilicata, Politécnico de Bari e Sociedade Italiana de Expertos em Direito das Artes e do Espetáculo (SIEDAS). Uma campanha de crowdfunding é ativa para quem quiser suportar a iniciativa – https://www.gofundme.com/ baribrasilfilmfest

Mais informações: www.abaporu.org

Publicado e compartilhado pelo Brasileiros Sem Fronteiras

Fonte: Organizadores do evento

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: