Foi inaugurado em Paris o Instituto do Mundo Lusófono – IMLUS

Por Louisa Monteiro 

Sob o lema “Lusofonia e francofonia: duas potências mundiais” o IMLUS (Instituto do Mundo Lusófono) – recebeu em Paris em alto estilo durante três dias mais de 100 representantes e autoridades provenientes de quatro continentes do mundo lusófono e a França como país sede do evento.

Entre os dias 6 a 8 de dezembro de 2017 foram realizados diversos simpósios, apresentações e debates em quatro locais históricos, entidades governamentais, universidades em Paris: UNESCO, Sorbonne, Hotel de Lauzun, Senado Francês – Palácio de Luxemburgo. O encerramento foi marcado com uma noite de gala com jantar e entrega das premiações no Salão Imperial do hotel Westin na Place Vendôme (The Westin Paris – Vendôme).

Artes plásticas

Neste evento os participantes tiveram a oportunidade de prestigiar as obras dos artistas Isabel Saraiva (Porto, Portugal), Odamar Versolatto (São Paulo, Brasil) e Adelino Ângelo (Vieira do Minho, Portugal).

Lusofonia

A lusofonia é a região linguística descontínua e que corresponde à comunidade linguística que envolve todas as pessoas – chamadas de “lusófonos” – que têm em comum a língua portuguesa. Porém o idioma em comum não indica que os lusófonos possuem aspectos culturais semelhantes ou que utilizem diariamente o português.

As comunidades e os países que têm o português como língua oficial, ou parte da população falam o português são: Angola (África Ocidental), Brasil (América do Sul), Cabo Verde (África Ocidental), Damão (Índia), Diu (Índia), Galiza (Espanha), Goa (Índia), Guiné Equatorial (África Ocidental), Guiné-Bissau (África Ocidental), Macau (China), Moçambique (África Oriental), Portugal (Europa), São Tomé e Príncipe (África Ocidental) e Timor-Leste (Ásia).

Criação do Instituto do Mundo Lusófono

No final de 2015 nasceu o “Institut du Monde Lusophone” (em português: Instituto do Mundo Lusófono). A francesa filha de emigrantes portugueses, Isabelle de Oliveira, diretora Faculdade de Línguas Estrangeiras Aplicadas da Universidade Sorbonne-Paris III, teve a ideia de organizar um Instituto linguístico inovador baseado na observação de que nossas sociedades modernas estão cada vez mais a sujeitar-se a práticas linguísticas onde o uso de uma única língua – o inglês – foi a língua eleita da globalização do mundo em todas as áreas sem que nossas sociedades se questionassem os motivos, o significado e as consequências de todas as ordens. Isabelle de Oliveira tem escrito vários ensaios e textos sobre a elaboração e execução de políticas de promoção da Língua Portuguesa no mundo atual.

Programa

Os simpósios foram dirigidos por acadêmicos de diversas universidades, professores, investigadores especialistas na lusofonia, empresários, embaixadores, jornalistas, empresários da mídia entre outros profissionais.

1° dia: Auditório da UNESCO

Tema das conferências: “Agir pela biodiversidade – compreender a biodiversidade e seus desafios”

2° dia: Universidade de Sorbonne

Sessão 1: O francês e o português: línguas de inovação científica na perspectiva da internacionalização da pesquisa.

Sessão 2: As políticas de educação no mundo francofone e lusofone: quais as perspectivas de evolução para o futuro.

Sessão 3: Artes, esportes e outras atividades integrativas e valorizantes

3° dia: Senado Francês – Palácio do Luxemburgo

Sessão 1: Inteligência econômica: vetor de desenvolvimento e de cooperação internacional

Sessão 2: Diplomacia cultural: um trunfo em um mundo em mutação

Sessão 3: Panorama de imprensa e mídias no mundo francofone e lusofone

3° dia: Hotel de Lauzun

Sessão 1: Qual a estratégia política a ser utilizada entre os espaços linguísticos em organizações internacionais para a democracia linguística

Sessão 2: Como o cruzamento dos idiomas alimenta a criação literária?

Sessão 3: As diásporas como protagonista: reflexões sobre uma “geografia líquida”

Sessão 4: A igualdade entre homens e mulheres na vida política e social

Sessão 5: A edição e os desafios da era digital: oportunidades, obstáculos e futuras perspectivas

Nestes três dias foram assinados diversos acordos entre as universidades e instituições. A Sra. Maria Teresa Gonçalves Simões, arquiteta de São Paulo, apresentou o vídeo do projeto arquitetônico para as futuras instalações do IMLUS.

Por Louisa Monteiro para os Brasileiros Sem Fronteiras

Alemanha 16.12.17

……………………………………………………………………………….

IMLUS

Fundadora: Doutora Isabelle Oliveira, Vice-Reitora da Sorbonne Nouvelle III

Fundação: 2015

Sede: Paris, França

Apoios: Governo francês e português, OIF (Organização Internacional da Francofonia), CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), GAFF (Grupo de Embaixadores Francofones da França), Delegação Geral da Língua Francesa e das Línguas da França.

Fotógrafo oficial: Christoph Lavaud

Diretor do Desenvolvimento Cultural e Diversidade do Instituto do Mundo Lusófono: Antonio Cançado de Araujo

 

IMLUS - Instituto do Mundo Lusófono

Alt Text
Foto: Louisa Monteiro
Foto: Louisa Monteiro
Foto: Prefeito de Lisboa, Professora da divisão de línguas da Sorbonne, Ministra da Ciência de Portugal e Conselheira na UNESCO

Da

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

0
%d bloggers like this: