História do grupo Galeries Lafayette

O grupo Galeries Lafayette é um grupo familiar francês especializado em moda e atua no setor de lojas de departamentos e do comércio há mais de 100 anos. Nos seus pontos de vendas há uma grande variedade de produtos de grande consumo, além de vestuário, carro-chefe do negócio, também tem mobiliário, decoração, produtos eletrônicos, cosméticos, brinquedos, entre outros. Em 2015, as lojas geraram 3,8 bilhões de euros em vendas através de suas marcas Galeries Lafayette, BHV Marais, Galeries Lafayette-Royal Quartz Paris, Louis Pion, Guerin Jóias, La Redoute, InstantLuxe e BazarChic.

Loja principal em Paris

A loja principal da Galeries Lafayette fica em Paris é conhecida como Galeries Lafayette Haussmann, porque fica na avenida com o mesmo nome. Este complexo é formado por três de edifícios com departamentos diferenciados: Lafayette Homme (loja masculina): 4 andares, Lafayette Maison (loja para artigos domésticos e móveis) : 5 andares e Lafayette Haussmann (a loja principal): 10 andares. Ela fica localizada na boulevard Haussmann 40, no 9° “arrondissement” (distrito de Paris) perto da Ópera Garnier. Galeries Lafayette tem como slogan: “Ici, la mode vit plus fort.” (“Aqui, a moda vive mais forte.”)

História do grupo Galeries Lafayette

Em 1893 Théophile Bader e Alphonse Kahn (dois primos da região francesa Alsácia) abriram uma mercearia de novidades de 70 m² chamada “Aux Galeries Lafayette” o qual era um conceito novo para época em permitir que os clientes circulem pelos balcões.

Em 1894 eles abriram a loja Galeries Lafayette na esquina da rua de Lafayette e da Rue de la Chaussee d’Antin. Ela é a primeira loja de departamento construída em cimento armado. A loja está idealmente localizada perto da Opéra Garnier, das Grands Boulevards e da estação ferroviária de Saint-Lazare. Foi importante a proximidade com a entäo nova estacao ferroviária porque era onde as famílias ricas do interior chegavam em Paris para comprarem o que havia de mais moderno. Muito rapidamente a Galeries Lafayette também atrai os funcionários de escritórios e a pequena e média burguesia de Paris.

Em 1896 Théophile Bader e Alphonse Kahn adquiriram a totalidade do edifício na rua La Fayette número 1, em 1903, os prédios de números 38, 40 e 42 no boulevard Haussmann e o número 15 na rua de la Chaussee d’Antin. Georges Chedanne e Ferdinand Chanut são responsáveis por organizar essas novas aquisições.

Théophile Bader e Alphonse Kahn Galeries Lafayette
Crédito: Médiathèque de l’architecture et du patrimoine

Em 8 de outubro de 1912 inauguraram a enorme e famosa cúpula no estilo “art nouveau” com uma arquitetura circular, seu ponto mais alto é de 43 metros acima do solo, esta cúpula de vidro é coroada por dez pilares de concreto. Durante a inauguração o Jules Védrines pousou o seu avião no teto.

Théophile Bader gostava de usar materiais muito modernos para a época, bem como os pisos de concreto armado as decorações são feitas por mestres da escola Nancy, Edward Schenck utilizou vigas de metal esculpidas em motivos florais, Jacques Gruber decorou o ambiente com janelas neobizantinísticas e Louis Majorelle ornamentou os balcões e escadas com ferro forjado de voo triplo.

Foto :Cultura e Patrimônio
haussmann.galerieslafayette.com
Galeries Lafayette, 1901-1925. Credit: Ministère de la Culture (France) – Médiathèque de l’architecture et du patrimoine – diffusion RMN

As primeiras filiais abertas em outras cidades na França: Nice em 1916, Nantes em 1919 e Montpellier em 1926. Em 1932, a empresa cria a Monoprix e abre sua primeira loja em Rouen sob a liderança de Max Heilbronn, um dos dois genros de Théophile Bader, tornou-se um diretor da empresa em 1926.

Entre 1941 e 1944 seguindo as leis antissemitas do regime de Vichy, a família fundadora abandonou a gestão durante a ocupação alemã e a empresa esteve sob a administração Vichy até a libertação.

Em 1944 Raoul Meyer, outro genro de Théophile Bader, assumiu a empresa e se tornou presidente do grupo até 1970.

Na sua morte, Max Heilbronn assumiu a presidência da Galeries Lafayette por um ano antes de seu genro, Étienne Moulin, sucedê-lo de 1971 a 1987.

Em 1971 o grupo comprou a Inno France e em 1985 as lojas “Aux Dames de France” em Paris.

O grupo é presidido por Georges Meyer de 1987 até sua morte em 1998. Ele é casado com seu homônimo Noëlle Meyer, neta de Théophile Bader. Sob sua liderança, o grupo compra o New Gallery (criado em 1867), BHV (criado em 1856), Uniprix e Cofinoga em 1991 e, finalmente, Prisunic em 1997. Na sua morte, em 1998, o Grupo é co-presidido por Philippe Houze e Philippe Lemoine. Em 2001, o Grupo adquiriu os pontos de venda franceses da marca britânica Marks & Spencer e em 2007 o Louis Pion – Royal Quartz. Em 1994, o Grupo criou a Laser, uma empresa de serviços financeiros, e em 1994, metade da empresa (e sua subsidiária Cofinoga) foi adquirida pela Cetelem. A Laser é igualmente propriedade do Grupo Galeries Lafayette e do BNP Paribas Personal Finance até ser totalmente adquirida pelo Grupo BNP Paribas em 2014.

Em 2000, o Grupo Casino comprou metade do Monoprix. Em junho de 2012, o Grupo Casino anunciou seu desejo de recomprar a participação de 50% detida pelo grupo Galeries Lafayette. Um acordo permitiu que o grupo Casino se torne o único acionista a 100% em outubro de 2013.

Enquanto o Grupo ainda é dirigido pelos descendentes do fundador Théophile Bader, as famílias Moulin e Meyer, este último decide em 2005 vender suas ações. A família Moulin e o BNP Paribas partilham a propriedade do grupo. Em 2009, a família Moulin retoma o controle de todo o Grupo.

Em 1996, a Galeries Lafayette internacionalizou e abriu uma loja em Berlim projetada pelo arquiteto Jean Nouvel. Desde que as Galeries Lafayette se estabeleceram em Dubai (2009), Jacarta, Pequim (2013) e Istambul (2017). Em 2017, a Galeries Lafayette também abriu no centro comercial Carré Sénart e em março de 2018, no centro comercial Prado, em Marselha.

Novas aberturas estão planejadas na França e no exterior até 2020. No exterior, o Grupo anunciou novas aberturas em Doha, Milão, Xangai, Luxemburgo, Cidade do Kuwait e Istambul. Na França a abertura na Champs-Élysées em Paris.

Desde 2014, o Grupo também desenvolveu um formato para o desarmazenamento de lojas, o Galeries Lafayette Outlet, e agora conta com oito lojas na área.

Em fevereiro de 2018, o Grupo anunciou um projeto de afiliação para 22 lojas da rede francesa Galeries Lafayette, localizada principalmente no coração das cidades do interior, a “Financière Immobilière Bordelaise” (Financiadora imobiliária de Bordeaux). Esta transação visa dar continuidade à transformação do modelo de empresa, acelerando a reinvenção da rede de lojas francesa Galeries Lafayette.

BHV MARAIS: Além de quatro lojas na França, incluindo o carro-chefe na rua de Rivoli, a loja de departamento BHV MARAIS está presente internacionalmente através de duas lojas em Beirute, Líbano e abrir uma loja em Dubai.

Nos últimos anos, o Grupo fez várias aquisições: em 2007, adquiriu as marcas de relógios Louis Pion e Galeries Lafayette-Royal Quartz Paris (antiga Royal Quartz); em 2012, ele comprou a marca de joalheria Didier Guérin renomeada como Guérin Joaillerie em 2016.

Em 2016, a Galeries Lafayette adquire duas lojas online (e-commerce): BazarChic, um site internacional e InstantLuxe.

A serviço da criatividade

As Galeries Lafayette mantêm historicamente uma forte ligação com o universo da moda e da criação contemporânea. A loja do boulevard Haussmann sempre acolheu eventos de prestígio, apresentando os principais criadores de sua época e revelando ao público os artistas que logo se tornariam referências de seu tempo.

Em 2001, o grupo Galeries Lafayette tomou a decisão de perenizar seu laço com a criação contemporânea, criando a “Galerie des Galeries”, um espaço de acesso livre no primeiro andar da loja e que valoriza a relação entre arte, moda e design.

Conscientes do valor agregado representado pela criação, e também de seu papel na democratização do belo, as Galeries Lafayette ampliaram este compromisso por meio de suas inúmeras iniciativas de mecenato. A empresa dá suporte a instituições que apoiam os artistas da atualidade, como o Centre Pompidou, o Musée d’Art Moderne e a Villa Noaillesem Hyères.

Edição do texto: Louisa Monteiro

Durante a inauguração da Cúpola o aviador Jules Védrines pousou o seu avião no teto da Galeries Lafayette em 1919.

Para mais informações:

https://haussmann.galerieslafayette.com/pt-br/

https://www.facebook.com/galerieslafayette

Pesquisa: https://fr.wikipedia.org/wiki/Galeries_Lafayette_Haussmann

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: