ARTE UPCYCLING “O mundo imaginário” da artista Denise Da Cruz em Liechtenstein

A multitalentosa Denise Da Cruz estará expondo parte da sua coletânea de ideias criativas e sustentáveis no dia 15.06.2019 no salão de eventos Vaduzer Saal .

Carioca radicada no principado Fürstentum Liechtenstein, no centro da Europa, a Denise junta os seus conhecimentos em diversas áreas – entre elas arquitetura e urbanismo, promoção cultural, desenvolvimento de objetos caseiros utilizando energia renovável – tudo isso na sua criação da sua arte.

Denise nos fala que “Através dessa linguagem artística procuro atrair olhares sobre o tema plástico no mundo. Tento tirar beleza desse material que vem matando nosso futuro de todas as maneiras. Acredito que cada um de nós, através de pequenas atitudes em prol da sustentabilidade, conseguiremos melhorar o nosso planeta.

Convido todos os interessados e visitar esta exposição e também as outras que estarão acontecendo simultaneamente no mesmo local.”

Para mais informações sobre as ideias geniais da Denise para os que buscam aderir ao estilo de vida mais sustentável consulte o site www.dacruzatelier.com

●●RESUMO●●

EVENTO

VI Junifest 2019 Casa Brasil Liechtenstein

QUANDO

15 de junho das 09:00 às 18:00 horas

ONDE

Salão de eventos Vaduzer Saal

Endereço:
Giessenstrasse 7
9490 Vaduz
Liechtenstein

– por Louisa Monteiro, 08.06.2019


……………………..……………………..……………………
Informação sobre garrafa PET

A garrafa PET, que já faz parte do nosso cotidiano, uma vez que é utilizada para embalar praticamente todos os líquidos, de remédios a bebidas. Mas ela também pode ser encontrada em outros tipos de embalagens e em outros setores da indústria, como o têxtil, que usa o material como matéria-prima para a fabricação de tecidos.

A fabricação e o descarte inadequados fazem com que a garrafa PET represente potenciais efeitos nocivos para o meio ambiente e para a saúde humana. Por isso a importância de saber reciclar e fazer uma utilização posterior ao uso que atualmente se chama UPCYCLING.

————————–————-
Resina PET – História
Fonte: associação brasileira da industria do pet

O Poli(Tereftalato de Etileno), ou, simplesmente PET, é um polímero termoplástico da família dos poliésteres. Embora seja muito conhecidoh oje através das garrafas plásticas, o material iniciou sua trajetória na indústria têxtil.

A primeira amostra da resina foi desenvolvida pelos ingleses Whinfield e Dickson, em 1941. Após a Segunda Grande Guerra, o desabastecimento afetou – também – a Indústria têxtil da época, ainda baseada em fibras como algodão, linho, lã, entre outras. Assim, as pesquisas que levaramà produção em larga escala do poliéster começaram logo após a Segunda Grande Guerra nos EUA e Europa e baseavam-se nas aplicações têxteis. A idéia era criar alternativas viáveis para as fibras até então usadas, cujos campos estavam destruídos pela guerra. O poliéster apresentou-se como um excelente substituto para o algodão – função que cumpre muito bem até hoje, inclusive a partir das garrafas recicladas.

O PET continuou a ser desenvolvido e novas aplicações foram surgindo. Sua resistência mecânica foi comprovada quando o poliéster passou a ser utilizado na indústria de pneus, em 1962.

As primeiras embalagens de PET surgiram nos Estados Unidos – e logo após na Europa no início dos anos 70.

O PET chegou ao Brasil em 1988 e seguiu uma trajetória semelhante ao resto do mundo, sendo utilizado primeiramente na indústria têxtil. Apenas a partir de 1993 passou a ter forte expressão no mercado de embalagens, notadamente para os refrigerantes. Atualmente o PET está presente nos mais diversos produtos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: